Cirurgia ortognatica maxilar inferior ajuda a correção de deformidades dentofaciais

A cirurgia ortognatica maxilar inferior auxilia em tratamentos de correção de deformidades dentofaciais. Mas afinal, o que é considerado uma deformidade facial? As deformidades dentofaciais faciais são alterações nas devidas proporções de estruturas ósseas faciais, que acometem partes como o maxilar, superior (maxila) ou inferior (mandíbula), provocando maloclusão, situação em que o encaixe dos dentes não ocorre de maneira adequada.

Tais ocorrências podem ser provocadas por diferentes tipos de posicionamento do maxilar, sendo que existem dois tipos de casos mais conhecidos e descritos cientificamente, sendo eles:

  • Caso classe II de Angle: conhecido também como micrognatismo ou retrognatismo, os pacientes que apresentam essa deformidade têm a parte inferior do maxilar menor do que a parte superior, de modo que esse recuo proporciona um aspecto de queixo pequeno. Isso ocorre quando houve um crescimento horizontal insuficiente na mandíbula no sentido ântero-posterior, ou em casos em que ocorreu um grande crescimento da maxila nesse mesmo sentido;
  • Caso classe III de Angle: este tipo de quadro clínico também é conhecido como macrognatismo ou prognatismo. Os pacientes que se enquadram nesse tipo de caso apresentam a parte inferior, mandíbula, maior que a maxila. Sendo assim, a pessoa apresenta um queixo com aspecto avançado, causado por crescimento horizontal anormal da mandíbula também no sentido ântero-posterior, ou um pequeno crescimento da maxila no mesmo sentido.

Quais os riscos associados a cirurgia ortognatica maxilar inferior

A cirurgia ortognatica maxilar inferior oferece riscos muito pequenos aos pacientes. Mas, assim como qualquer tipo de intervenção cirúrgica, ela apresenta certas complicações atreladas ao procedimento. Sendo assim, as mais comuns são:

  • Infecções;
  • Danos provocados a estruturas e regiões adjacentes como a gengivas, tecidos musculares e dentes;
  • Casos de parestesia, em que há dormência ou perda de sensibilidade parcial na região;
  • Riscos associados a aplicação da anestesia.

Ademais, a cirurgia ortognatica maxilar inferior pode apresentar efeitos colaterais como inchaço local, desconforto ou leves dores no pós-operatório, manchas e sangramentos, de modo que tais circunstâncias acabam dificultando a devida alimentação do paciente.

Quais pacientes devem adotar a cirurgia ortognatica maxilar inferior

Após constatar a necessidade de realizar a intervenção cirúrgica, cabe ao médico cirurgião e ao paciente decidir pelo procedimento de alongamento da mandíbula, encurtamento da maxila ou até mesmo ambos.

O tratamento costuma ser indicado para pacientes que apresentam alteração nas proporções ósseas presentes no rosto, de forma que o crescimento exagerado ou o subdesenvolvimento desses componentes acabam afetando o aspecto estético e harmonioso facial.


Publicações Relacionadas

Regiões onde a Consulta Ideal atende cirurgia ortognatica maxilar inferior:


cirurgia ortognatica maxilar inferior
cirurgia ortognatica maxilar inferior