Cirurgia plástica maxilar e os implantes faciais

A cirurgia plástica maxilar pode fazer uso de implantes faciais para conseguir reestabelecer o equilíbrio e manter a devida proporção entres as estruturas faciais e seus anexos, gerando uma fisionomia mais harmoniosa e atraente.

Os implantes faciais podem ajudar na correção de deformidades e traumas que possam acometer a região do maxilar. Pensando nisso, podem ser usados:

  • Em casos de aumento e reconstrução do mento (queixo);
  • Para alterar o contorno facial envolvendo as regiões malares e a parte lateral da mandíbula, por exemplo;
  • Para suprir deficiência esquelética infraorbitária;
  • Em implantes paranasais.

Cirurgia plástica maxilar: as vantagens e desvantagens dos implantes

Os implantes utilizados na cirurgia plástica maxilar costumam ser feito de materiais que sejam biocompatíveis, como os aloplásticos. Por isso, são raros os casos em que ocorrem reações adversas, uma vez que estes materiais não são tóxicos ao organismo e mantém sua forma e volume.

A característica mais relevante com relação ao implante, que acaba por determinar a forma como o organismo reage a sua inserção, está associada ao tipo de superfície do material. Dessa forma, implantes com superfície lisa determinam a formação de cápsulas de parede lisa, enquanto que nos implantes porosos é possível verificar diferentes graus de crescimento interno de tecido não rígido, tendo como resultado uma cápsula menos densa e com formato mais indefinido.

Os materiais que estão disponíveis atualmente em implantes são feitos de silicone sólido que apresenta exterior liso, ou implantes feitos em polietileno poroso. Sendo assim, as vantagens e desvantagens estão associadas ao tipo de material utilizado e sua respectiva superfície.

A cirurgia plástica maxilar que conta com o implante de silicone sólido é facilmente esterilizável, sua forma pode ser moldada sem maiores dificuldades e estabilizado com auxílio de parafusos e suturas simples, além de não produzir reações adversas e ser removível. Porém, tem maiores chances de provocar reabsorção do osso subjacente, apresentar deslocamento, quando não fixado, e apresenta cápsula fibrosa aparente sob tecido mais delgado.

Com relação ao implante de polietileno poroso, este tem menores chances de apresentar deslocamento e tendência de reabsorção óssea subjacente, além de produzir cápsula mais fina e menos aparente. Porém, é sua inserção é mais complicada e mais difícil de ser retirada.

Quais recomendações a serem observadas antes da realização da cirurgia plástica maxilar

Antes de passar pela cirurgia plástica maxilar é indicado que o paciente consiga esclarecer suas dúvidas e realize os exames de rotina solicitados, assim como uma avaliação clínico-cardiológica. É importante mencionar doenças, medicamentos, alergias e presença de infecções, além de evitar o uso de medicação que contenha ácido acetilsalicílico, corticoides ou anticoagulantes.

Por fim, o paciente deve interromper o hábito de fumar um mês antes de passar pela operação, além de evitar a ingestão de bebidas alcoólicas e alimentos mais gordurosos na véspera do procedimento cirúrgico.


Publicações Relacionadas

Regiões onde a Consulta Ideal atende cirurgia plástica maxilar:


cirurgia plástica maxilar
cirurgia plástica maxilar